quinta-feira, 24 de abril de 2008

Rosa Chá






Mais do que o biquíni, mais do que a cor da laycra. O que causou o maior burburinho no desfile do inverno 2008 da Rosa Chá foi o casting, de "mulheres reais". Como bem se sabe, celebridade em passarela costuma ser receita de sucesso de exposição na mídia. E assim foi: os corpos reais de famosas como a apresentadora Fernanda Young (nervosíssima, mas fingindo ser blasé-punk ao mostrar o dedo médio), a cantora Cláudia Leitte. A tática (patrocinada por marca de beleza) foi boa para dar aquela energizada na sala de desfile. É que a coleção é bem morna no que diz respeito a proposta. Tá certo que é inverno e que a Rosa Chá não é percebida como marca de roupa, mas de moda praia, portanto não se pode exigir grandes e novas idéias. Mas os vestidos soltos de tecidos molengos, as mínis, camisas e demais peças desfiladas já foram vistas por aí. São bonitas e usáveis já os biquínis e maiôs (com bordados lindos, ricos e, ao mesmo tempo, delicados) são uma continuação de um trabalho que começou no verão (nas formas, nas cores e no jeito de interferir na roupa de banho).
Bjs,
Sapatilha

3 comentários:

cerejas disse...

só mulher real? onde? eu só vejo beldade!

Sapatilha disse...

Eu tb cerejinha...prece piada né?
Bjs, Sapatilha!

Sapatilha disse...

Eu tb cerejinha...prece piada né?
Bjs, Sapatilha!