terça-feira, 17 de junho de 2008

Desabafo de Uma Mulher Moderna - Parte 2

A mulher moderna corre atrás do que quer. Do emprego que quer, dos amigos que quer, da casa que quer.Mas, principalmente, do homem que quer. Pode até ser que não seja o homem que ela merece, mas é com certeza o que ela quer. Mulheres modernas mudam de emprego, de padrão de vida, de casa, de horário de trabalho para ficarem com quem querem. Agora, pára tudo!!! Stop total!!!


O que os homens modernos fazem? Esperam. Sentam-se em frente à TV, ou ao computador, para assistir ao jogo, ou jogar paciência enquanto as mulheres se viram para vir até eles.


Levante a mão aí em frente à tela aquela mulher que nunca na vida passou pela tortura de uma depilação com cera, pediu o apartamento de uma amiga emprestado, decorou com velas perfumadas e esperou nua na cama por um cara. Tá, você aí, do monitor LG 19 polegadas, pode baixar a mão, que esta situação é só um exemplo. Não precisa ser nada tão requintado. Quantas de vocês já não desmarcaram compromissos importantes porque seu paquera só tinha aquele horário na agenda dele?


Pois é, caras companheiras. Não tem jeito. A mulher é moderna, mas algumas burrices estão gravadas no DNA. A gente nunca vai deixar de esperar pelo príncipe encantado, por mais sapo que ele seja.


Agora, me digam. Quantas vezes o seu namorado, marido, namorido, paquera, PA (Pinto Amigo) já fizeram algo assim? Não digo que não exista. Mas calcula aí que tenho certeza que não chega a ser 50% você e 50% ele.


Então, eu, nesta linda segunda-feira, fui para o apartamento do meu irmão que acaba de se mudar, mas deixou as coisas para que eu encaixotasse e guardasse. Meu filho estava na casa da avó. Pensei: oportunidade perfeita. Combino com o meu PA uma visita rápida. Ele diz que tá ótimo, tudo OK. Sairia do trabalho e passaria no apartamento.


Tomo um belo banho, perfumo o apartamento, tiro a bagunça de cima da cama e ponho lençóis limpos e fofinhos. Liga o PA. "Estou indo para a casa do chefe, coisa rápida. Te ligo assim que sair de lá". Se fosse a primeira vez que ouço isto dele, tudo bem. Mas o grilo falante da minha consciência já me mandava logo: tome um banho gelado corta-tesão, vista um short e uma camiseta velha do irmão e vai correr na praça para queimar toda a frustração, porque ele não vem. Mas aquele defeito no DNA feminino faz com que a gente ignore totalmente a consciência e a intuição. Ele nunca, nunca veio até a minha casa ou onde estivesse, mas eu preciso de uns dez outros posts deste tamanho para contar as coisas hilárias e algumas até meio feias que já fiz para me encontrar com ele. Mas, e daí? Sou uma mulher moderna, eu corro atrás do que eu quero. Nem que isto seja só uma boa foda.


Incrível, mas gente sempre acha que desta vez vai ser diferente. 18h30. Nada. 18h45. Esperando. 18h55. Canso. Jogo pra lá toda a minha convicção que de um PA a gente não pode cobrar nada, não é um compromisso sério, afinal. Pôxa, mas tava combinado. Custa ligar e dizer que não vem mesmo? Quer saber, mereço pelo menos respeito. Ligo. Ele não atende e manda a mensagem: "retorno já". Mando mensagem: "Me diz pelo menos se vem ou não. Para eu já tomar um banho frio logo". 19h01. Mensagem dele: Não sei ainda. Tome banho.


Tome banho... Que resposta é esta????


Entra a Scarpin no meu gtalk. Conto a história e faço a pergunta: Que resposta é essa??? A gente compartilha com as pessoas a indignação para ver se resta, se não respeito próprio, pelo menos consolo. Scarpin, solidária: Meu deus... tenho nem o que falar... triste ele, hein?


Agradeço a solidariedade. E a Scarpin salva minha noite: Olha Peep, tem males que vem pra o bem. Se não rolar nada, rola um super post com certeza de audiência.


E aí está. Espero que ajude alguma mulher, em uma hora destas, ter um momento de reflexão.



A tirinha é obra da cartunista argentina Maitena.


Peep Toe

13 comentários:

Salto Afiado disse...

Na alegria ou na tristeza, nossos textos hão de ser sempre uma proeza!

Muito bom Peep Toe

srta scarpin disse...

Peep, meus parabéns! Adore o texto! Olha que o negócio rendeu mesmo em. hahaha Êta pa-zinho marromeno...

Como acabou de dizer a Mary Jane: "ow pa paia esse dela" ... "adorei nossa nova colaboradora"

É isso aí Peep! Pra frente e avante!!

Mary Jane disse...

Eta lelê Peep... senta e chora amigaaaaam.. mas a Scarpin tem razão.. rende pelo menos um bom post..
Xeu te dizer, Um bom PA não trata a gente assim nao...esse tá mais pra PI (inimigo rsrs) PA que é PA não nga fogo, ELE que muda os planos e compromissos dele pra nos satisfazer e quando e onde pudermos...
Vamos escolher um PA melhor? A gente pode até lancar uma campanha que tal? Naonao nao, esquece capanha é pagacao de mico.. já leu nosso texto no papo de homem sobre PAs?
A scarpin te passou o link?

Beijo Peep, e força mulher.. ria disso tudo... eheheheh

Tinta disse...

Tá com cara de namorado esse PA einh.. de namorado de um mês e meio.. tipo depois que já comeu... pq homem qd namora e come... ihhhh parecia minha vida.. meu cotidiano... e de 99,9% das minhas amigas....

é a vida.... somos mulheres.... eles uns pintos pensantes.

Anônimo disse...

Na condição de PA, sob o crivo dos saltos altos e finos, venho em minha defesa dizer que nem sempre um compromisso furado é um ataque direcionado à mulher que espera. Muitas vezes, o PA não desmarca o compromisso apenas porque ainda espera e acredita que pode dar certo. Entendo que "esperar" conjuga com poucas pessoas, mas é incômodo do lado de cá também. Por vezes, uma frustração se torna razão suficiente para se avaliar a pessoa, e toda sua história. Por mim, digo que sou mais que uma situação que não deu certo. E acho que é tão injusto alguém ser avaliado, quase julgado por essa única atitude, como seria injusto avaliar a Peep por esse único post.
Aliás, post bom como sempre!

Srta. Scarpin disse...

Caro Anónimo,

Não leve o post para um lado tão pessoal. (mesmo que for). Acho que o texto retrata nada mais que um sentimento momentâneo que toda mulher passa, passou ou vai passar.

A questão é tão mais profunda para ser levada especificamente. Nós mulheres somos seres extremamente sensíveis, cheias de questionamentos e as situações compartilhamos para rir ou chorar juntas.

Abraço.

Anônimo disse...

Prezada Srta. Scarpin,

Posso optar por não levar o post para um lado pessoal, mas é pouco provavel que eu, voce ou qualquer pessoa emocional pudesse fazer essa desassociação.
Mas sim, entendo a intenção do texto e não só compreendo como tenho admiração tanto pela maneira como a Peep se expressou, quanto pela qualidade literária do texto dela.

A questão aqui é que quando se tenta expor uma questão profunda sem esperar que ela seja observada especificamente, individualmente, comete-se o erro de escrever para si mesmo.
Entendo que a Peep esteja falando de algo que é real para muitas pessoas, mas algumas vão absorver esse texto de forma individualizada, como foi escrito, na verdade. Negar isso é negar a própria gênese do texto.

E, se me perdoa o comentário pessoal, acho um pouco sexista de sua parte classificar as mulheres como "extremamente sensíveis" desconsiderando que do lado de cá támbem existem homens assim.

Aceitar isso como regra, seria impedir qualquer alternativa de lugares comuns entre nós.

Eu procuro as similaridades. E admito que o diferente me atrai, mas mais como um desejo (masculino??)de aventura que como um padrão para levar por toda a minha vida.

No final, a estabilidade, confiança, segurança e tranquilidade que voces esperam de um relacionamento não é mesmo exclusiva do gene feminino.

Embora eu admita que no geral, homens demorem mais para sentir essa necessidade, mas isso seria assunto para um post, não para um comentário.

No mais, parabens pelo blog, achei realmente muito interessante, é a primeira vez em minha vida que faço dois comentários em uma mesma publicação.

P.S. Eu deveria assinar "O Coturno"?

Srta. Scarpin disse...

Amigo Anônimo,

Já temos um Coturno na área, talvez uma outra escolha? Creio que você tenha uma segunda opção, não?

Então, eu sei, eu sei, que tem homens sensíveis (como você), como muitos outros, mas me diga, ustedes tem período mestrual?

(um momento de silêncio)

Então encerramos o asssunto. Nós somos mais sensíveis por mês do que vocês. Brincadeira anômino! hihihi

Eu disse que não deveria levar, mas não nego que o texto possa ser analisado de forma individual. Uma análise talvez?

:) Até mais

Abraço.

Anônimo disse...

Bem, nada de momento de silêncio para mim, pelo período menstrual de voces. Conheço mulheres que, por aconselhamento médico, não interrompem a ingestão diária de anti-concepcionais e ficam sem menstruar!

E veja, não é uma ideia minha, representando o contingente machista, é instrução médica!

Não acho justa essa linha de segregação.

Por outro lado, tem se tornado comum ler textos de mulheres lá não muito felizes com os homens, mas não é tão comum o contrário.

Daí, pode-se concluir que, ou as mulheres não andam mesmo contentes conosco, ou as que estão não gostam de escrever, ou apenas as que estão infelizes tem tempo e paciência para a nobre arte da escrita.

Nada de julgamento, sempre me incomoda ser julgado. Mas tenho notado que em sua grande maioria, as reclamações das mulheres que escrevem, giram em torno de seus problemas individuais, e ainda assim, massificam o tema, passando a idéia de que, se um homem agiu de determinada forma (ruim, é claro, não há recíproca), todos os outros andarão no mesmo caminho.
Pense como seria se todo homem que fosse traído, por exemplo, passasse a educar os leitores que todas as mulheres são por natureza, traidoras.

E isso ocorre com as mulheres tão facilmente, de forma tão natural, que as vezes voces nem reparam.

Vamos lá, o homem, pivô desse post, foi chamado de (PA). Terminologia engraçada e até respeitosa à identidade do moço, mas completamente discriminatória.

E alí em cima a Tinta disse que "é a vida.... somos mulheres.... eles uns pintos pensantes."

Bem...

Se é o que voces esperam encontrar é o que encontrarão, e é o que serei. (E entenda, não é uma ameaça ou uma concordância, é apenas a visão que terão de nós, quer sejamos assim ou não)

Mas digo que isso poderia ser diferente. E acho que o esforço para mudar não deveria partir só dos homens. Mesmo porque, pela própria opinião aqui expressa, somos apenas pintos não pensantes.

Não acho que poderia fazer uma análise do texto da Peep, estou envolvido demais para isso. Mas acho que valeria uma crônica, com a visão do outro lado. Talvez voces também ainda tenham algo a aprender sobre os homens, pelas palavras deles e não pelos seus temores e interpretações.

Tenho medo de opiniões fechadas, de conclusões herméticas.

(Minha opção seria descalço, mas que tal Sapatênis?)

Peep Toe disse...

Gente, estou lisonjeada! Nunca imaginei que meu post seria tão polêmico!!!

Srta. Scarpin disse...

Eu falei Peep! Ia dá audiência! hehehe

Caro Anômino, se você fosse mulher eu lhe chamaria para fazer parte do nosso grupo. (isso não é um preconceito, é por conta do mode do site).

Eu gosto de descalço, mas tb poderia ser tênis ou chuteira. O que achas?

Ah, e seu texto, só uma mesa redonda mesmo. hehehe Porque o assunto vai looooonge. Mas tente ter uma visão de garotos de vinte e poucos anos... Só uma obs para pensar.


abraços!

Anônimo disse...

Srta. Scarpin, obrigado pela gentileza em quase me convidar ao seu grupo. Meio que já me sinto parte dele. Ou pelo menos, parte de parte dele.

Perdi a visão de garotos de vinte e poucos anos a uns vinte e poucos anos...

Pé Descalço

Srta. Scarpin disse...

Acho que isso é bom, ter perdido, né? hehe

Seja Bem Vindo então Pé Descalço.

=D